Seca derruba a safra de grãos do Piauí pela metade em comparação com 2015

O Piauí teve uma queda brutal de mais de 50% na produção de cereais, leguminosas e oleaginosas em 2016, em relação ao ano passado, segundo dados divulgados ontem pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Os números, que fazem parte do 12º e último levantamento da safra 2015/2016 de grãos, mostra que o Piauí está colhendo este ano 1.430.384 toneladas de grãos, contra 3.052.744 toneladas do ano passado, perfazendo uma redução de 53,1%.
O algodão herbáceo foi o que apresentou mais queda - em 2015 foram colhidas 50.875 toneladas, contra 15.077 toneladas este ano, uma variação negativa de 70,4%. A soja, carro chefe da produção de grãos dos cerrados piauienses também apresentou queda bastante significativa - foram colhidas 1.772.722 toneladas no ano passado, contra apenas 644.263 toneladas em 2016, uma variação negativa é de 63,7%. O arroz registrou queda de 41,6% - de 99.945 toneladas em 2015, caiu para 58.337 toneladas em 2016.
O milho, outro produto cuja produção tem ajudado significativamente na expansão do agronegócio piauiense, teve uma variação negativa de 44,6% na produção da 1ª safra - 1.099.335 toneladas em 2015 e 609.401 toneladas este ano; mas na 2ª safra houve uma crescimento de 3.593,1% na produção - foram colhidas 2.104 toneladas em 2015 e 77.702 este ano. A queda na produção se deve principalmente à estiagem que castiga o Estado há pelo menos quatro anos.
A estiagem ocorre principalmente na região do semiárido, mas este ano afetou seriamente a produção agrícola principalmente por conta das poucas chuvas entre outubro do ano passado e março deste ano na região dos cerrados, celeiro da produção de grãos do Piauí. Segundo os dados do IBGE e da Conab, em 2015/2016 só houve crescimento na produção de cana-de-açúcar, ma-mona e castanha de caju e mandioca. A cana-de-acúcar saiu de uma produção de 861.393 toneladas em 2015 para 883.164 toneladas este ano, com uma variação positiva de 2,5%.
A castanha de caju cresceu 107,5% - saltou de 12.751 toneladas no ano passado para 26.463 toneladas este ano. No caso da mamona, o crescimento foi maior ainda - 73 toneladas em 2015 contra 386 este ano, variação positiva de 428,8%. A colheita de mandioca cresceu 18,5% - foram 265.687 toneladas em 2015 contra 314.909 toneladas este ano.
Tecnologia do Blogger.