A farmacêutica Maria da Penha, que dá nome à Lei 11.340/06, criada para punir e coibir atos de violência doméstica, está em Teresina. Nesta quarta-feira (28/08), ela concedeu entrevista coletiva e cobrou dos prefeitos de cidades menores a implementação de políticas de proteção à mulher e a construção de centros de referência de apoio às vítimas de violência.

"São 13 anos de Lei, e nós só temos políticas públicas que fazem a Lei sair do papel nas grandes cidades, que geralmente são as capitais. Mas é necessário que em todos os municípios, por menor que seja, tenha pelo menos o centro de referência da mulher", cobrou e reforçou que são nos centros que as mulheres podem se orientar sobre seus direitos.
Em Teresina, a prefeitura mantém a Casa Esperança Garcia, que conta com psicólogos, assistentes sociais e assessoria jurídica, tendo realizado mais de 1.600 atendimentos.
Para Maria da Penha, todos os municípios têm condições de criarem seus próprios centros de referência, inclusive com o apoio dos estados.
"Todos os municípios podem criar os centros de referência, inclusive dentro das unidades hospitalares. Como considero o cento uma as políticas mais importantes e a mais fácil de ser implementada, seria uma parceria dos municípios com a gestão da saúde, dando espaço dentro dos hospitais para que o centro funcione", explica. 

Maria da Penha posa com a secretária Marcilane Gomes e a equipe da secretaria municipal de Políticas Públicas para Mulheres de Teresina
Maria da Penha posa com a secretária Marcilane Gomes e a equipe da secretaria municipal de Políticas Públicas para Mulheres de Teresina 
Mas é preciso cobrança aos gestores, ela diz. "Cobrar e fazer com que o político sinta vergonha do seu proceder", completa. 
Maria da Penha argumenta ainda que a norma não tem o simples intuito de punir homens, mas "punir aquele homem agressor, que não sabe respeitar a sua mulher como ser humano". E lembrou que a conscientização dos homens é parte importante neste processo. "Muitos casos decorrem da falta de informação e da educação. É necessários que os homens também sejam atendidos", avalia.
Homenagens
Nesta tarde, Maria da Penha vai participar do "Dialogando sobre a violência contra mulher", evento realizado dentro da programação do Aniversário de Teresina, quando será comemorado os cinco anos do projeto "Maria da Penha em Cordel", desenvolvido pela Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres. O encontro será na Praça dos Orixás, no bairro São Joaquim, onde também irá receber o título de cidadã teresinense, proposto pelo vereador Venâncio Cardoso.

Nesta quinta 29 de julho,  ela estará na Assembleia Legislativa do Piauí, onde receberá o título de cidadania piauiense, proposto pela deputada estadual Lucy Soares.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem