Uma semana de uso de prednisolona, um anti-inflamatório comum usado para tratar asma, artrite, alergias, eczema e síndrome do intestino irritável, é suficiente para aumentar o risco de diabetes tipo 2, segundo informações do Daily Mail. É o que mostra um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Sapienza de Roma, na Itália, apresentado durante a Conferência Anual da Sociedade de Endocrinologia, realizado recentemente em Brighton, na Inglaterra.
Não é novidade que o uso de esteroides por longos períodos prejudica a regulação do açúcar no sangue. Por sua vez, o controle inadequado do açúcar no sangue leva à resistência à insulina, considerada um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de diabetes tipo 2.
A questão é que o novo estudo mostrou que o uso de um dos tipos de esteroides mais comuns, a prednisolona, aumenta esse risco após um curto período de uso. “Este é o primeiro estudo a examinar os efeitos metabólicos a curto prazo de doses comumente prescritas de glicocorticoides em homens saudáveis. [Isso] indica que, mesmo com doses mais baixas, o metabolismo da glicose é prejudicado, sugerindo um risco aumentado de diabetes com o tratamento continuado.”, disse Riccardo Pofi, líder do estudo. 
Os glicocorticoides, grupo ao qual pertence a prednisolona, são um tipo de esteroide que imitam o hormônio cortisol, produzido pela glândula adrenal. O cortisol, chamado de hormônio do stress, é conhecido por seu efeito anti-inflamatório. Porém, alguns efeitos colaterais de seu uso prolongado incluem ganho de peso e osteoporose.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem