No quintal da casa do professor Marllus Araújo, um tatame, um aluno e um professor começaram em 2017 a buscar sua própria historia dentro da luta olímpica. Na cidade de Piripiri, distante a 163,5km de Teresina, Bruno Marllon cresceu e viveu diversos esportes de luta.
Foi lá que ele conheceu a luta olímpica, atividade que rendeu ao Piauí a primeira medalha da modalidade nos Jogos Escolares. Em seu segundo ano na competição nacional, Marllon subiu ao pódio superando o resultado de 2018 quando ficou em nono lugar.
Agora, com a medalha inédita no peito, Bruno conta toda a preparação que precisou passar após conhecer o nível da competição nacional.
“Foi algo muito importante. Ano passado eu participei e vi que o nível era muito alto e por isso precisava treinar mais para conseguir a medalha. Treinei o ano todo. Senti que meus adversários estavam mais fortes, mas eu estava mais confiante. Fiquei bastante feliz quando consegui a medalha. Nunca imaginei que eu faria história, mas sempre acreditei que um dia eu conseguiria algo inédito”
Aos 16 anos, Bruno passeia por esportes de luta e começa a orquestra-los. Antes de iniciar a pratica de luta olímpica, o piauiense disputava campeonatos de muay-thai e jiu-jitsu. Neste último, Bruno divide hoje os pódios como na luta olímpica.
“Sempre amei mesmo foi o jiu-jitsu, desde pequeno. Mas o segundo esporte que eu mais gosto é a luta olímpica e me dediquei a esse esporte”
Olhando para sua conquista, o atleta também reflete sobre o passado a medalha inédita. Com a medalha no peito, Bruno espera que o apoio a modalidade possa vir a acontecer a atletas do Piauí.
“Minha família sempre me apoiou, me incentivaram desde o começo. Com ajuda nas passagens e hospedagem. Quando contei que tinha conseguido uma medalha inédita ficaram muito felizes. Me viram desde o começo, com as dificuldades. Agora eu espero ter mais apoio. Quero conseguir representar o Piauí em outros campeonatos. Treinar bastante e ficar forte (risos).”
Após os Jogos Escolares, Bruno recebeu a proposta de vir treinar em Teresina junto a Federação Piauiense de luta olímpica. Olhando para o futuro, Bruno espera cursar ainda na universidade Educação Física e aliar o esporte aos estudos.
Fonte: Portal AZ

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Portal Brasileira