O Ministério Público do Rio de Janeiro cumpre mandados de busca e apreensão na manhã desta quarta-feira, 18, em endereços ligados a Fabrício Queiroz, o ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Alerj, e a Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro. As informações são do jornal O Globo.
A operação faz parte da investigação de um suposto esquema de “rachadinha” do gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro. A decisão da 27ª Vara Criminal do RJ atinge um total de 96 pessoas, entre elas familiares de Ana Cristina que foram funcionários do gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa em algum momento entre 2003 e 2018 — período em que ele exerceu o mandato.
Queiroz é suspeito de ser o operador do esquema conhecido como “rachadinha”, quando trabalhou no gabinete de Flávio entre 2007 a 2018. Ao longo de 2016, o ex-assessor movimentou 1,2 milhão de reais em sua conta bancária, com uma série de saques e depósitos fracionados considerados atípicos pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).
Queiroz e Flávio são alvos do Ministério Público do Rio de Janeiro, cujas investigações chegaram a ser suspensas pelo ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal, em uma decisão que atingiu todos os procedimentos baseadas no compartilhamento de dados bancários e fiscais sem autorização do Poder Judiciário. O STF reverteu esta medida e deu sinal verde para as apurações no final do mês passado. Ambos sempre negaram as irregularidades.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem