O governo do Estado, através do Instituto de Terras do Piauí (Interpi), dará prosseguimento ao processo de compra de terras para abrigar 302 famílias indígenas, no município de Piripiri, a 160 km de Teresina. Em reunião realizada nesta sexta-feira (03), na localidade Canto da Várzea, com a presença da vice-governadora do Estado, Regina Sousa, e do presidente do Interpi, Chico Lucas, as lideranças indígenas concordaram que seja iniciada as negociações com os proprietários das terras anteriormente selecionadas e que somam mais de 800 hectares.

O resultado da reunião animou a a vice-governadora, que agora espera celeridade no processo de regularização das terras. “ O Brasil tem uma dívida com os povos indígenas de um modo geral e muitos ainda sofrem com a falta de terras.” Com o crescimento das cidades, os índios foram tangidos para as áreas urbanas, sendo obrigados a saírem do seu ambiente originário”.

Ainda segundo Regina Sousa, enquanto o processo para aquisição das terras estiver em tramitação, as lideranças indígenas irão planejar a utilização do espaço, como a construção de habitações e o que vão produzir. “Esperamos proporcionar um índice de bem-viver para os indígenas daqui.” Na reunião, a vice-governadora informou que o governo do Estado já enviou à Assembleia Legislativa projeto de lei de reconhecimento dos povos indígenas do Piauí e que deve ser votado e aprovado ainda no primeiro semestre deste ano.

O presidente do Interpi, Chico Lucas, explicou que o processo para aquisição das terras não será demorado e que vai convidar a Secretaria de Agricultura Familiar (SAF) para, juntos, realizarem um estudo da área escolhida. “Nos foram apresentadas três áreas. A expectativa é de que as 302 famílias sejam acomodadas, mas ainda precisamos fazer uma análise técnica do local”, explica.

O cacique José Guilherme, da tribo Itacoatiara, contou que a luta pela aquisição das terras para os índios começou há 15 anos e que a esperança agora é resolver o problema com o apoio da vice-governadora. “ Vai dar certo para 2020. Queremos terra para trabalhar e morar. Estamos sofrendo vivendo na cidade.” Ele disse que espera que o governador Wellington Dias coloque as terras nas mãos deles na presença de muitos índios que vivem no Piauí.

Para Cícero Dias, da Associação Indígena Canto da Várzea, a reunião foi produtiva pois apresentaram as áreas visitadas pelas lideranças e que serão visitadas novamente pelos técnicos do Interpi. Ele disse que agora o processo será mais rápido e vão escolher a melhor área que possa abrigar as famílias.

Os proprietários das três áreas apresentadas à vice-governadora e ao presidente do Interpi participaram da reunião e informaram que as áreas são produtivas e todas legalizadas.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem