https://drive.google.com/uc?export=view&id=1ru6BkqUxORQBLGfFqZxo38tqrRVRauEA
Moradores do Povoado Barrinha, Zona Rural de Matias Olímpio e principal via de acesso ao Maranhão, sofriam com o intenso tráfego de maranhenses. Cansados de esperar pela Secretaria de Saúde de Matias Olímpio, resolveram montar a sua própria barreira sanitária, mesmo sabendo dos riscos sem a orientação adequada.

A decisão, segundo Wanderson de Araújo, morador do local, as famílias estavam em pânico com o fluxo de pessoas.

“Ontem acordamos com dois padeiros vindos do Maranhão batendo em nossa porta, isso nos causa pânico, não é preconceito e sim o medo de sermos contaminados pelo vírus.” relatou uma moradora.

O OUTRO LADO

A coordenadora de atenção básica, através de nota, manifestou-se em relação a barreira montada pelos moradores do municipio. 

“Fizemos o bloqueio no smeios de transportes de lá, canoas e balsa, mas devido ao descumprimento por parte dos canoeiros do lado do Maranhão aumentou o fluxo de pessoas na localidade e devido a esse fato, tomaram a excelente iniciativa de cercar a entrada pelo rio e a barreira na entrada da localidade. Tentamos conter essa travessia de diversas maneiras, mas acredito que com essa atitude a própria população tenha conseguido. Estão todos de parabéns”, afirmou.

Perguntada sobre o fim das barreiras, Sandra Regina se absteve de dar explicações, mas, deu algumas declarações sobre a crise das barreiras sanitárias mostrando que existem vestígios de descontentamento de alguns por falta de pagamento. 

“Gostaria de não me colocar ainda sobre essa paralisação porque não sentei com a equipe das barreiras para ouvir cada um sobre o movimento. Alguns desejam continuar, outros informam que desejam parar devido ao pagamento de diárias, portanto se continuarão ou não só poderei lhe responder quando discutirmos isso em equipe.” complementou.

Perguntada sobre a montagem de uma barreira sanitária mais intensa no Povoado Barrinha, Sandra citou alguns fatos relativos a equipe de saúde. 

“Seria importante em cada uma das muitas entradas e saídas da cidade.O problema é o número de pessoas que temos para compor as barreiras .Dificilmente a própria população deseja contribuir como ocorreu”, disse.

Quando foi questionada se a Secretaria de Saúde estaria repassando para população a responsabilidade da barreira sanitária, Sandra relatou que não seria possível a colocação de agentes de saúde da região para auxiliar os moradores nas barreiras e assumiu o compromisso com todos os moradoresdo povoado.   

“No Povoado Barrinha isso não seria possível A maioria dos agentes des aúde de lá tem comorbidades e não participa nem mesmo das barreiras daqui. Nunca transferimos nossa responsabilidade para população, até por que temos a nossa e a população também tem a dela. Por essa razão nunca solicitamos a população que fizesse barreiras sanitárias. Admiro e parabenizo pelo feito, até porque seria uma falta de compromisso da Secretaria de Saúde não os auxiliar na barreira sanitária. Solicitamos junto a coordenadora de atenção básica de saúde do município o rodízio de profissionais de saúde do município para auxiliar os moradores na barreira sanitária. Vale lembrar mais uma vez que foi atitude da população a montagem da barreira sanitária", finalizou.Fonte: Portal Povo Matiense 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem