A Prefeitura de Teresina decidiu manter a reabertura de bares e restaurantes para a próxima segunda-feira (17). O retorno dessas atividades passou a ser incerto após a 17ª etapa da pesquisa de investigação sorológica mostrar que a taxa de transmissibilidade (RO) saiu de 0,85 para 1,09 com a reabertura do comércio.

Bares e restaurantes estão incluídos na Etapa 2 da Fase 3 de retomada das atividades econômicas e sociais, assim como churrascarias, cafés e praças de alimentação dos shoppings.

"A queda do número de óbitos por COVID-19 vem se consolidando a cada semana. Por isso manteremos nosso calendário de reabertura das atividades econômicas em Teresina. Por outro lado, devemos nos manter alertas porque a pesquisa sorológica mostrou um aumento, mesmo que ainda pequeno, do número de pessoas contaminadas pelo vírus e ainda na fase de infecção. Também cresceu em quase 12% os  atendimentos relacionados à Síndrome Respiratória Aguda Grave nas últimas duas semanas. Por isso, por recomendação do Centro de Operações Especiais para Covid-19, composto por vários infectologistas, decidimos manter o isolamento social mais rígido nos próximos dois finais de semana.  Reforço aqui nosso pedido de cuidado total. Estamos numa fase crítica e decisiva, que vai nos guiar para os próximos passo", disse o prefeito Firmino Filho nas redes sociais.

As equipes de Vigilância Sanitária do município estiveram à frente da preparação destes locais, com orientações e fiscalizações sobre as boas práticas de preparação de alimentos, bem como as medidas para conter da transmissão de Covid-19 entre funcionários e o público em geral.

“Os técnicos fiscalizam diariamente estes locais para garantir a segurança nas medidas de contenção. Após a publicação do protocolo específico da área, passamos também a apresentar as regras para sua implantação antes da reabertura das atividades para o público”, explica a gerente de Vigilância Sanitária da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Jeanyne Seba.

Os estabelecimentos devem disponibilizar em sua entrada uma pia com água, sabão e papel toalha ou álcool 70%, para higienização das mãos, além de tapete higienizante e termômetro para aferição de temperatura. O interior dos estabelecimentos também deve sofrer algumas modificações. 

“A principal delas é que as mesas devem ser posicionadas mantendo uma distância mínima de dois metros entre elas; em casos em que isso não é possível, devem ser instaladas barreiras de acrílico entre elas”, explica a gerente.

Os locais devem ainda manter dispensadores de álcool 70% e retirar pratos e talheres das mesas, entregando-os aos clientes somente na hora da refeição. Também está proibida a disponibilização de itens para degustação. Os cardápios feitos de materiais de difícil higienização devem ser substituídos por formas mais simples ou descartáveis, em banners ou mesmo cardápios virtuais. Eles devem ainda disponibilizar uma pessoa para orientar os clientes, além de manter cartazes educativos sobre a Covid-19.

A Vigilância Sanitária informou que está realizando ainda treinamentos com os funcionários dos restaurantes sobre as medidas de segurança a serem tomadas no deslocamento de casa para trabalho e vice-versa, bem como seu comportamento durante o serviço. “Aqueles que lidam diretamente com os clientes devem usar a máscara e proteção facial, e o distanciamento deve ser mantido, mesmo na cozinha”, alerta Jeanyne Seba.

Os clientes também precisam cumprir as regras estabelecidas no protocolo. “A primeira delas é a de higienizar as mãos antes de entrar, se direcionar à sua mesa e só então retirar sua máscara, que deve ser guardada e nunca deixada sobre a mesa. Caso tenha que se deslocar dentro do estabelecimento, ele deve recolocar a máscara. Além disso, mesas separadas não devem ser unidas umas com as outras pelos clientes, porque isso configura descumprimento do protocolo”, ressalta a gerente. “Pedimos à população que obedeça as regras, pois elas foram elaboradas visando uma retomada segura dos serviços”, acrescenta.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem